© 2017 by Elysium Dive

Dias 19 a 21 de Abril 2019

ARQUIPÉLAGO DE ABROLHOS 

Incluso

  • 03 dias embarcados com pensão completa e bebidas não alcoólicas e as taxas.

  • Transfer do aeroporto de Porto Seguro a Caravelas e transfer de retorno a Porto Seguro.

  • 01 noite de hospedagem em Caravelas na chegada de 18 a 19/04 em duplo.

  • 01 noite de hospedagem em Porto Seguro no retorno de 21 a 22/04 em duplo.

Investimento: R$ 3000,00 em até 10x à partir de Outubro. O valor será dividido em menos parcelas de acordo com a data de adesão, devendo todo o pacote estar quitado até 10/04/2019.


OBS* Não inclusa a parte aérea até o aeroporto de Porto Seguro/BA – Encontro no aeroporto até as 14:00h dia 18/04.

Informações sobre a embarcação:

  • Catamarã oceano medindo 18,60m x 7,90m com 60 pés dividido em 04 cabines de casal e 04 cabines triplas de solteiro totalizando 20 pessoas acomodadas para liveaboard. Dispõe de 02 banheiros sendo um em cada lado da embarcação. 

  • A energia para recargas de lanternas e/ou câmeras é bivolt (110/220v);

  • Todos os cilindros são com entrada yoke;

Liveaboard no 

Catamarã Oceano

1° DIA
Embarque ás 06h30/07h da manhã no cais da Abrolhos Embarcações/Caravelas - BA, localizado na Av. Adalício Nogueira, 1.294 Bairro Tancredo Neves - Caravelas, chegando no arquipélago por volta das 10hs com mergulhos diurnos ilimitados e 01 noturno (para mergulhadores avançados);

Abrolhos

O Parque Nacional Marinho dos Abrolhos é considerado a joia da coroa do litoral baiano.
Em cada época específica do ano estão reservadas surpresas para os visitantes. As águas claras de verão fazem seus pontos espetaculares ficarem ainda mais belos.


De Julho a Novembro se transforma em santuário para reprodução, nascimento e amamentação das baleias jubarte. É possível vê-las da superfície e admirar o balé espetacular desses mamíferos gigantes.


Abrolhos ganhou esse nome para alertar os navegadores do passado sobre perigo de circular na região devido ao grande número de corais que afloravam sem aviso bem próximos à superfície e acabavam por atingir os cascos das diversas embarcações que faziam a rota.


O arquipélago, formado pelas Ilhas Siriba, Sueste, Guarita, Santa Bárbara e Redonda, tornou-se Parque Nacional Marinho em 1983 por abrigar ecossistemas únicos e por estar dentro das rotas de reprodução e migração de diversas espécies de aves marinhas, além obviamente das ilustres visitantes de peso supra citadas.
Um dos ícones da região, o farol, está localizado na Ilha Santa Bárbara, a única que não faz parte do Parque Marinho e é administrada pela Marinha do Brasil.


O parque está localizado a cerca de 70 km da costa e os principais passeios saem da cidade de Caravelas sendo este trajeto percorrido somente por meio das embarcações cadastradas pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade) que cuida da preservação e controle de acesso ao parque.

Atividades em Abrolhos

Os passeios para Abrolhos são sempre regados de muita emoção, principalmente na temporada das baleias que vai de julho a novembro.


Os avistamentos ocorrem nos percursos de ida e volta do arquipélago. Todas as normas ambientais para aproximação dos cetáceos são cumpridas para a segurança dos tripulantes.


Durante o tempo de permanência no arquipélago as atividades envolvem o mergulho livre com snorkel onde é possível visualizar cardumes de frades, salemas, cirurgiões e inúmeros outros peixes que compõem a rica fauna marinha, além de tartarugas, lagostas, raias e até pequenos tubarões da espécie conhecida como "lixa" ou "limão".


Para visitar os ninhais das aves residentes da região, os grupos fazem uma descida na Ilha da Siriba com o acompanhamento dos monitores ambientais do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade) que cuida da preservação do parque.


Após uma rápida palestra, os visitantes iniciam uma pequena caminhada que durará cerca de 30 minutos e encontrarão neste percurso centenas de casais de atobás, uma ave bastante graciosa que põe seus ovos ali mesmo entre as pequenas pedras vulcânicas que compõem o solo da ilha.


Nas tocas feitas em pedras estão os ninhos das grazinas também conhecidas como "rabo-de-palha" além das fragatas e beneditos.


As saídas de liveaboards são mais procuradas por mergulhadores credenciados que poderão escolher a duração da permanência no arquipélago, porém, isto não significa que quem não tem credencial de mergulho não possa escolher esta opção, pois passar alguns dias em Abrolhos certamente será uma experiência inesquecível para todos os tipos de aventureiros.
Nas saídas de liveaboard as atividades incluem a visita ao Farol da Ilha de Santa Bárbara que está sob o comando da Marinha do Brasil.


Todos são muito bem recebidos pelos militares que residem na ilha e têm uma enorme satisfação em contar a todos a história do belo farol que foi instalado em 1861 por ordem de D. Pedro II.


Mas o foco principal, claro, são os mergulhos autônomos que vão desde os mais rasos com 10 m de profundidade no Portinho Sul aos mergulhos nos 03 naufrágios que ficam próximos ao arquipélago, sem falar nos chapeirões que são formações coralíneas endêmicas de Abrolhos.

Atividades no Arquipélago de Abrolhos

Portinho Sul e Mato Verde 
Enseada da Ilha de Santa Bárbara com profundidade de cerca de 08 a 10 metros, estes são geralmente os pontos onde são feitos os primeiros mergulhos para reconhecimento do ambiente, lá são encontrados dentões, badejos, frades, barracudas, tartarugas, lagostas, etc.


Costão do Farol 
Neste outro trecho próximo à Ilha de Santa Bárbara, o mergulhador enxerga os restos da construção do farol além de gorgônias-orelha-de-elefante, dentões, lagostas, cações-lixa e meros. Profundidade máxima de 12 metros.


Língua da Siriba
As fendas horizontais abrigam crustáceos, moluscos, badejos e budiões-azuis. É um ponto clássico para a realização do batismo (entre 8 e 12 metros de profundidade).


Chapeirinhos da Sueste
O recife de coral com formação de chapeirão (semelhante a cogumelos) tem lagostas, raias-manteiga, anêmonas e esponjas tubulares.


Portinho Norte
Predominância dos corais endêmicos do sul da Bahia, como o Mussismilia Brasiliensis e peixes como dentões, badejos, barracudas, cirurgiões e budiões azuis a 08m de profundidade.

Naufrágio Rosalinda
O cargueiro italiano afundou com sacos de cimento em seus porões, que permanecem intactos. O casco está coberto de corais-de-fogo. A 20 metros de profundidade pode-se encontrar meros, pequenos tubarões e várias espécies de peixes e corais.


Naufrágio Guadiana
Foi a pique em 1885, quando transportava café, e está a 27 metros de profundidade. Além de corais do gênero Mussismilia e gorgônias, é comum ver meros gigantes.


Naufrágio Santa Catarina
Cargueiro alemão afundado durante a Primeira Guerra Mundial, em 1914. A maior parte da estrutura está desmantelada, mas ainda dá para ver vasos sanitários, guinchos e casas de máquina. A 25 metros de profundidade.


Chapeirões Atlântida e Faca Cega 
Este é o que se pode chamar de "um mergulho de outro mundo"! Canais dão acesso a um grande salão onde até 15 mergulhadores podem se reunir, com estrutura que lembra a de uma catedral. É possível ver muitos corais, além de tubarões, raias e badejos. São formações tão belas que emocionam até os mergulhadores mais experientes. Suas pequenas cavernas se revelam com a penetração de fachos de luz e os imponentes cânions fazem deste mergulho um dos mais belos do Brasil a 30 metros de profundidade.